quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Quarenta e três: Atípica rotina

Esse texto foi escrito pela minha amiga Caroline, que já apareceu nesse blog, pois foi em sua casa que fizemos nosso chá da tarde.
Espero que vocês gostem, pois eu gostei muito.
----------------------------------
Depois de alguns anos vividos tudo se torna parte de uma rotina. A novidade que uma manhã pode trazer se perde nos hábitos adquiridos. Ao menos foi o que aconteceu ao longo dos meus sessenta anos.
Ontem, supostamente, deveria ter seguido um padrão, assim como nos outros dias. Entretanto, uma sensação de nostalgia aflorou dentro de mim e forçou-me a procurar uma forma de reviver minhas memórias. Bastou essa vontade para que eu transgredisse minha rotina e ousasse nos meus atos.
Comecei então a revirar os antigos móveis no escritório e lá encontrei uma agradável surpresa. Uma fotografia amarelada e rasgada devido ao descaso meu e do tempo. Nela se encontrava uma amiga de adolescência e uma figura mais jovem de mim. Nesse momento fui tomada por uma sensação libertadora e saudosista.
Eu havia vivido muitas coisas junto dela, lembro-me de quando costumávamos sair pelas ruas sem rumo e horário para voltar. Éramos eu, ela e nossas histórias, sem preocupações ou temores. Apenas a certeza da nossa amizade. Isso me encheu de lágrimas e esperança de volta àquele tempo.
Porém, em um momento de lucidez, percebi que essa época havia passado e que eu havia usufruído dela ao máximo. Eu precisava realmente dessa fotografia para lembrar que nunca é tarde para viver novas histórias. Minha idade nunca seria um empecilho. Era preciso a coragem que esse pedaço de papel me proporcionou para retomar o contato. E foi isso que eu fiz.

8 comentários:

  1. É uma honra ter meu texto aqui, mas ao mesmo tempo acho que não sou digna de estar junto das suas belas escritas. Obrigada pela oportunidade <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me sinto honrada pelo seu comentário, miss Hitomi.
      Obrigada por colaborar com meu blog e acredite em você, pois sua criatividade é linda, trabalhe-a bem.
      Beijos açucarados

      Excluir
  2. Olá Bruna, quanto tempo que já não apareço por aqui! Como você está?
    Eu realmente me identifiquei com esse pensamento da sua amiga, eu dificilmente quando lembrava desse tempo bom conseguia deixá-lo para trás e tinha imensa vontade de revivê-lo.

    Mas assim como ela disse, esse tempo foi usufruído ao máximo.
    Agora nós temos que aproveitar o presente também, e criar memórias tão boas quanto antes, e mais tarde nós lembraremos delas com carinho.

    Abraços,
    antique faerie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, miss Bia. Fico muito contente por te rever aqui no meu jardim :)
      Eu acho que a saudade e a nostalgia são sentimentos importantes em nossa vida, mas devem ser dosados ao máximo, pois senão se transformam em melancolia e ressentimento.
      Temos que aproveitar o presente ao máximo para construir boas memórias e para vivermos plenamente.
      Obrigada pelo comentário, borboleta.
      Beijos açucarados.

      Excluir
  3. Que texto mais lindo!

    Agradeço imensamente a visita em meu blog, fiquei muito feliz com o carinho de suas palavras, seja sempre bem vinda por lá, e voltarei aqui sempre, amei seu cantinho.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, miss Gaby, muito obrigada!
      Eu realmente adorei o seu blog, ele é muito adorável e os textos são incríveis, parabéns, parabéns, parabéns.
      Venha aqui sempre, meu jardim estará sempre aberto para as novas borboletas que queiram o visitar.
      Beijos açucarados

      Excluir
  4. Ça va, chérie Bruna!

    Sua amiga Caroline escreveu um texto belíssimo, atípico (gosto de gente e coisas atípicas) e que deliciou ela, você e nós, leitores, já pra não falar do chá do qual comunguei virtualmente. Adoro essa bebida.

    E o que pode fazer, o que pode nos transmitir uma fotografia amarelada? Tanta coisa boa, do passado, ok, mas recordar é viver, como se diz em Portugal. Por momentos, manhãs ou tardes, pensamos que somos de novo garotas com nossas risadas e histórias sem fim. Quanta cumplicidade!

    A idade, seja ela qual for, não impede nada, e muito menos recordar a alegria de tempos idos, que naqueles instantes, viram atualidade.

    Bises, mon amie, mes amies et je te/vous désire de merveilleux jours et nuits.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bonjour, miss CÉU. Que encantador tê-la por aqui, em meu blog/jardim. Espero te encontrar mais e mais vezes por aqui, hein?
      Tenho certeza de que a Carol ficará extremamente contente em ler seu comentário, ela precisa desses estímulos para continuar a escrever ou escrever por mais vezes! Já disse a ela que sua escrita é peculiarmente encantadora...
      Bises, beijos açucarados.

      Excluir